Translate

sábado, 17 de março de 2018

CONTEXTO


Lá fora o mundo gira, as cabeças giram, copos cheios e vazios garçons transitando entre as mesas e todos felizes, contentes comemorando com diversos motivos ou sem motivos mesmos mas pelo simples fato de estarem vivos e fazerem parte de uma história bem contada que é a vida, perguntando a uma aluna minha, universitária de letras se sabia contar histórias ela foi enfática em falar que não sabia contar, então pedi para comentar com a turma do seu acordar até aquele momento, empolgada com a narrativa do seu dia nos contou a mais linda história que eu já ouvira, com detalhes dramáticos, cômicos, aterrorizantes com início, meio e fim, ao término todos os alunos a aplaudiram, a nossa existência é a história mais linda que narramos, mesmo sendo o protagonista dela, alguns com uma tristeza a torna trágica fazendo de suas vidas um caus, eternizando uma desgraça, outros comicamente a tornam alegres e engraçadas levando-a como bem quer, tem aqueles taciturnos cansativos até em seus pensamentos não aproveitando um segundo sequer dos rápidos momentos que em terra vivem, todos estes personagem reais procura m de um modo ou outro a felicidade porque é uma falta de capacidade e gerencia passarmos por aqui sem sermos felizes a vida é uma mordomia constante é uma busca frenética para o possível, encontramos montanhas e temos que transpô-las, não subindo ou pulando-as mais contornando-as para alcançarmos o lado desejado, isto é gerencia de mordomia é história eternizada, é marcar no tempo carimbando uma existência, demarcando e fincando uma bandeira que leva a marca fazendo com que a história não se extinga e em seu texto sempre vemos um contexto, ressalto os poetas-escritores: Catiaho Alcantara, Silvio Afonso de Macedo, Quito Arantes, Toni Lima, Maria Gorete, Alcimar Ribeiro de Paula, Paulo Coelho, Edson Marques, Mário Quintana e ouros detentores das palavras que escrevem a cada dia seus nomes, cravando em nossos peitos seus textos, não estereotipados mais profundos enraizando fazendo com que vidas insípidas tornem saborosas com paladar e aroma próprio com uma identidade visível sendo visto não em um contexto mais no texto de uma história linda de vida, vivamos anos, meses, dias, horas, minutos e segundos como se fosse um presente nos oferecido sem merecimento algum.
LAMPEJOS POÉTICOS – ALCLEIR ALCANTARA – 10/02/2012
10 de fev de 2012

2 comentários:

  1. Puxa...
    obrigada por me inserir em tão seleto grupo.
    Não é que ache que não mereço, é que
    ainda trabalho pouco para receber essa honra.
    Sei que não é dos que passam por cima de quem trabalha, eu trabalho aina
    e tenho muito que trabalhar.
    Mas
    de toda forma
    obrigada!
    Bjins sonhos e delírios
    vem?rsrs

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelas palavras amáveis, voce está e já marcou o seu nome no texto e contexto de nossas vidas.

    ResponderExcluir

Palavras são Sementes
vamos seguir espalhando um pouco delas....