Translate

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

BUSCA



Onde está você
Que não  escuto ou vejo,
A distância me priva
De ouví-la, vê-la e tocá-la.
Ao longe enxergo algo difuso
Na incerteza de ser você
Apelo para o meu coração
Que em momentos como este
Não me deixa enganado
Podendo sem luneta
Sentir a tua presença
Mandar mensagem ao olfato
Para distinguir em um jardim florido
O aroma que exala
Entre mil flores preciosas
De fragrâncias diversas.
Bendito coração
Que pulsa freneticamente
Seu nome a chamar
Em uma batida ritmada
Como uma orquestra
Sem desafinar
Conhecendo em suas notas musicais;
Aquela que um dia foi e será
Para todo sempre
A razão do pulsar
Deste sonhador coração
Al Kyosky's Pai
 03022009

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

CORAÇÃO VAGABUNDO

Rebuscando e deixando a mente perambular ou mesmo vagabundear entre outros pensamentos descubro no âmago do coração um sentido não explorado a espera de uma conectividade, não sentimental mais ampla e irrestrita falando e expondo todos os assuntos pertinentes a atualidade, sem focar em um só momento necessitando dialogar sem partidarismo algum ou conceito pré estabelecido, não deixando envolver-se em analogias difusas e confusas, quando estamos dispostos a um aprendizado trocando expressões gerais a tendência é um ganho de conhecimentos com uma gama de aprendizados que levamos por toda existência, muitos preferem a mediocridade televisiva ou mesmo uma discussão partidária/religiosa, fazendo com que outrem comem e ruminem todo lixo oferecido, sem portanto rebuscar um verbete mais apurado tendo uma conversação mais produtiva e eficaz, a inteligência humana pode ser desenvolvida e exercitada alimentada por finas iguarias e não por dejetos jogados ao porcos para engordas de leitões, um belo dia na escola onde trabalhava um aluno chamou outro colega de “burro” foi uma ofensa só, recebendo um livro paradidático de nome “ Apelido não tem cola” aborda exatamente este assunto. O nosso amigo burrinho em questão não toma água suja, empaca quando o peso e excessivo, não pula obstáculo, enquanto isso o seu primo cavalo tendo pedigree ou não faz o contrario e não é chama do de “burro” como sentido pejorativo, quando o chinqualarem, usando o famoso e moderno bulling como depreciando sua qualidade verbalizando palavras como: Você é um merda, babaca, idiota, imbecil, sem teto, maconheiro, viciado ( pode ser em coca cola ou chocolate ), use o poder da invisibilidade será a grande resposta sem se expor a uma conversação sem sentido vazia, se realmente quiser preencher o seu coração vagabunda e vazio de iguarias de fino lábios como dizia o meu saudoso sogro é ser feliz sem importar-se coma felicidade alheia.



ALCLEIR ALCANTARA- LAMPEJOS POÉTICOS -  11/01/2015.